Porque devo levar meu filho ao oftalmopediatria?
5 de julho de 2019
Porque óculos escuros comprados em lugares duvidosos devem ser evitados?
17 de janeiro de 2020

Você já ouviu falar em esotropia? Provavelmente não, acredito. Mas vamos mostrar para você o que é e como ela é mais comum do que se imagina.

A princípio, cada olho possui seis músculos externos (chamados músculos extra-oculares) que controlam a posição e o movimento do olho. Na visão binocular normal, a posição, o controle neurológico e o funcionamento desses músculos para ambos os olhos devem estar perfeitamente coordenados.

O estrabismo ocorre quando há problemas neurológicos ou anatômicos que interferem no controle e na função dos músculos extra-oculares. É possível que o problema tenha origem nos próprios músculos, nos nervos ou nos centros de visão do cérebro, que controlam a visão binocular.

A genética também pode intervir: se você ou seu(sua) parceiro(a) tiver estrabismo, seus filhos também terão um risco maior de estrabismo.

O que é esotropia acomodativa?

Ocasionalmente, quando uma criança hipermetrópica tenta se concentrar para compensar a miopia sem correção, ela desenvolve um tipo de estrabismo chamado esotropia acomodativa. Nesse tipo de estrabismo, os olhos se desviam devido ao esforço excessivo para se concentrar.

Essa condição geralmente aparece antes dos dois anos de idade, mas também pode se originar em uma idade mais avançada da criança. Frequentemente, a esotropia acomodativa pode se corrigir com óculos ou lentes de contato.

A esotropia pode ser monocular (o que corresponde a 90% dos casos) ou o que chamamos de alternante. O alternante costuma ser mais favorável, uma vez que a qualidade da visão tende a ser parecida em ambos os olhos. Já o monocular apresenta um olho com boa visão e o outro com cegueira estrábica.

E a esotropia não acomodativa?

A estropia não acomodativa também é conhecida como esotropia essencial. Seu surgimento geralmente se dá nos primeiros três anos de vida.

A principal característica dessa forma de esotropia são os desvios convergentes, sendo de médio a grande. Seu início se dá subitamente e os pais normalmente notam que a criança passa a desviar os olhos quando corre algum tipo de trauma. Este trauma pode ser físico ou psicológico.

Esta é uma condição que leva à baixa qualidade de visão, aumentando a chance da criança sofrer estigmas psicológicos e sociais. Além disso, é uma condição que não vem acompanhada de outras doenças e apresenta elevada incidência na família de quem tem.

Causas do estrabismo convergente

O maior questionamento de muitos pais e mães preocupados com o estrabismo é em relação à sua causa.

Pois bem, o estrabismo pode ser o que chamamos de congênito: aquele em que a criança já nasce com ele ou pode ser adquirido, que é quando surge mais tarde.

Porém, se após os seis meses de idade o estrabismo continuar, é necessário consultar um oftalmopediatra.

Tratamento para esotropia

Dentre os desvios, esse é o tipo mais fácil de tratar. Isto porque os óculos corrigem e a criança vai ter uma visão exatamente igual a de uma pessoa que não tem o estrabismo. Na esotropia infantil, apenas o uso dos óculos sozinhos já resolve.

Muitos pais ficam frustrados porque, ao tirar os óculos, o olho da criança volta a ter o desvio. Porém, isso é normal durante a infância.

Alguns pais querem operar e acabam buscado a opinião de vários profissionais. Porém, durante a infância, não há tratamento cirúrgico para essa condição.

Já no caso de adolescentes e adultos, o tratamento pode ser feito com lentes de contato e, durante o seu uso, o olho não irá desviar.

Menina de óculos fazendo careta.

Menina de óculos fazendo careta.

Cirurgia para esotropia

Em alguns casos, é possível fazer a cirurgia refrativa (aquela que tira o grau do olho da criança). Porém, isso tem que ser avaliado com cuidado por dois oftalmologistas, um especialista em cirurgia refrativa e outro especialista em estrabismo. Esses profissionais juntos irão avaliar todos os riscos e benefícios que a cirurgia possa gerar e assim irão decidir pela realização ou não da cirurgia. 

Em outras palavras, apenas após a cirurgia refrativa (quando ocorre o; zeramento do grau) é que o estrabismo não irá mais acontecer. Caso contrário, será necessário a utilização dos óculos ou das lentes de contato.

Tipos de esotropia

  • Não acomodativa – desvio não melhora com o uso dos óculos.
  • Parcialmente acomodativa – óculos corrigem parcialmente o desvio.
  • Totalmente acomodativa – o desvio se corrige 100% com uso dos óculos.

A cirurgia de estrabismo não se aplica para casos de esotropia em crianças?

Primordialmente, a cirurgia de estrabismo não se aplica para casos de esotropia em crianças. Isto ocorre pois, no momento em que a criança precisar colocar os óculos para enxergar de forma mais nítida, o olho relaxa e isso causará um desvio para fora. Dessa forma, a criança ficará com o olho reto sem os óculos e com o olho desviado com os óculos ou lentes de contato.

É importante que os pais tenham essa informação em mente. Portanto, se lembrem que casos de estrabismo totalmente acomodativo e o estrabismo parcialmente acomodativo permitem que a criança tenha uma visão de profundidade exatamente igual a de uma pessoa não estrábica. Isto após a cirurgia, claro.

Como saber qual o tipo de estrabismo do seu filho?

A única forma de saber se o estrabismo é acomodativo ou não é realizando o exame de grau sob cicloplegia.

Cicloplégico é um colírio específico que deve se utilizá-lo para saber o grau total do olho da criança.

É importantíssimo que o grau seja correto. Pois, apenas com a prescrição dos óculos com o grau exato, será possível identificar se há componente acomodativo ou não no desvio.

Recomendações

Em síntese, é um erro acreditar que o estrabismo desaparece com o crescimento. Assim que o desvio ocular for identificado nas crianças, elas devem ser encaminhadas para avaliação oftalmológica.

Por fim, há tratamento e correção para estrabismo em qualquer idade. Porém, os resultados são melhores seguindo os tratamentos de acordo com a orientação médica e se iniciado precocemente. A falta de tratamento adequado pode reverter na perda total da visão do olho desviado. 

Leia também: Porque devo levar meu filho ao oftalmopediatria?

8 Comentários

  1. Alaide disse:

    Meu filho tem 11 anos e tá com o desvio no olho direito ,o desvio é para dentro,levei no oftalmologista ,ele tá usando óculos,porém tou muito preocupada.

    • admin disse:

      Oi Alaide!
      O tratamento inicial dos Estrabismos convergentes muitas vezes é feito com o uso de óculos mesmo.
      Mas é preciso avaliar cada caso, porque existem muitas particularidades.
      Se você estiver insegura fale com seu médico.
      Estamos à disposição.

  2. Carlos disse:

    Que é ISOTROPIA. em criança ?
    Qual a conduta ?

  3. Jeniffer disse:

    esotropia Em adultos qual o procedimento ? Eu tenho 26 anos e pela minha estética me incomodo e estou percebendo que está entrando cadê vez mas

    • admin disse:

      Olá Jeniffer,
      Nesse caso, primeiro é preciso realizar um exame de refração – para avaliar se óculos e exercícios não podem melhorar o caso. Ou se a melhor opção é a cirurgia.

  4. Ubiratan Rodrigues disse:

    Olá tenho 14 anos, gostaria de saber se o uso de lentes de contato com grau na esotropia parcialmente acomodativa pode ajudar, pois enquanto minha família não tem renda o suficiente para me pagar uma cirurgia a lente pode me ajudar em questão de estética, assim evitando a questão do bullying etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir conversa
Posso Ajudar?