Tratamento para estrabismo: existe? Como é?

Estrabismo tem cura?
31 de janeiro de 2021
Tratamento para estrabismo

O estrabismo é uma condição bastante comum em todo o mundo e certamente você já viu uma pessoa estrábica, tenho certeza. À primeira vista, é possível perceber que no estrabismo os olhos não olham exatamente na mesma direção ao mesmo tempo. O principal questionamento referente a este distúrbio é: existe tratamento para estrabismo?

Trouxemos um artigo completo com tudo o que você precisa saber sobre o tratamento para estrabismo!

Mulher com estrabismo em um dos olhos. Fonte: www.canva.com

O que é o estrabismo?

A princípio, vamos esclarecer o que é exatamente o estrabismo. Desta forma, evitamos dúvidas e aí poderemos falar sobre como funciona o seu tratamento.

O estrabismo é um distúrbio que é caracterizado por um desequilíbrio na região dos olhos. Mais especificamente, o distúrbio se encontra na função dos músculos oculares.

Para entender melhor como ocorre o estrabismo ocular é bem simples. Enquanto um dos olhos se fixa em um objeto, o outro está desviado. Este desvio ocular pode ser permanente, ou seja, sempre presente ou pode ocorrer apenas em determinados momentos.

O desvio do olho pode ser leve (e assim ser pouco perceptível) ou ser mais acentuado. Os casos de desvios mais acentuados geralmente causam grande desconforto ao paciente, pois além de incomodar no aspecto estético, também pode acarretar outros problemas de visão.

Tipos de estrabismo

O estrabismo se divide em alguns tipos, sendo eles:

1 – Estrabismo convergente: É quando os olhos se desviam para dentro, ou seja, em direção ao nariz.

2 – Estrabismo divergente: Ocorre quando os olhos se desviam pra fora, sendo assim, em direção as orelhas.

3 – Estrabismo vertical: É quando os olhos se desviam para cima, na região da testa, ou para baixo, em direção as bochechas.

4 – Estrabismo alternante: Ocorre quando o desvio do olho se alterna, ou seja, ora ocorre no olho direito, ora no olho esquerdo.

5 – Estrabismo intermitente: Ocorre quando há variações no desvio dos olhos. Em outras palavras, o desvio dos olhos ocorre apenas em alguns momentos.

6 – Estrabismo latente: Esta forma de estrabismo não ocorre em condições normais. Ele se manifesta apenas quando há a obstrução de um dos olhos.

Causas do estrabismo

Há muitas dúvidas acerca das possíveis causas para o estrabismo. As causas podem ser as mais diversas e falaremos sobre isso agora.

A princípio, é necessário entender que existem seis músculos que são responsáveis pela movimentação dos globos oculares. Para conseguirmos focar a visão de ambos os olhos no mesmo objeto, todos os músculos dos olhos devem trabalhar de forma harmoniosa e em sincronia.

Nesse sentido, o movimento destes músculos é controlado pelo cérebro. O cérebro controla estes músculos por via de impulsos nervosos de excitação e inibição, de forma que, quando um músculo de um olho contrai, o seu antagonista relaxa.

Dito isto, as doenças que podem afetar o cérebro (tumores, acidente vascular cerebral, paralisia cerebral, viroses, traumas e etc), frequentemente vêm acompanhadas de alguma forma de estrabismo. Em adultos, o estrabismo não é comum e são adquiridas das formas citadas logo acima.

Já o estrabismo em bebês menores de 6 meses pode ocorrer devido ao  histórico familiar de estrabismo, distúrbios genéticos (como Síndrome de Down), exposição pré-natal a drogas (incluindo álcool), prematuridade, defeitos congênitos dos olhos e paralisia cerebral.

O estrabismo infantil em crianças maiores de 6 meses de idade é frequentemente causada por aquilo que chamamos de erro de refração (hipermetropia excessiva) ou por um desequilíbrio na força dos músculos que controlam a posição dos olhos.

Agora que já esclarecemos todas as informações básicas sobre o estrabismo podemos falar sobre o seu tratamento.

Estrabismo tem tratamento?

O principal questionamento quando falamos em estrabismo é se estrabismo tem cura, não é mesmo? E a resposta é sim.

A cura do estrabismo consiste em uma intervenção cirúrgica nos músculos chamados de extraoculares. Com exceção apenas do estrabismo acomodativo, pois neste caso a correção é feita a partir do uso de óculos ou lentes de contato.

Para falarmos do tratamento de estrabismo é necessário que separemos em dois grupos, um para as crianças e outro para os adultos.

Tratamento para estrabismo em crianças

À primeira vista, a medida que deve ser tomada no que diz respeito ao tratamento do estrabismo infantil é a prescrição de óculos, caso o oftalmopediatra reconheça que há necessidade.

ambliopia, também conhecida como olho preguiçoso, deve ser tratada o mais rápido possível. O tratamento consiste em colocar um oclusor (o famoso tampão de olho, certamente você já viu um) sobre o olho com boa visão. Esta medida irá forçar o olho mais fraco a fixar os objetos e a estimular a visão da criança.

Se os olhos da criança estiverem desalinhados, o oftalmopediatra pode recomendar a realização uma intervenção cirúrgica nos músculos extraoculares. Geralmente esta intervenção cirúrgica ocorre entre os 3 e os 6 anos de idade.

É válido ressaltar que o uso de óculos é totalmente independente da cirurgia para estrabismo.

Criança com estrabismo apoiada sobre mesa. Fonte: www.unsplash.com

Tratamento para estrabismo em adultos

Agora vamos ao tratamento direcionado aos adultos.

Nos casos de estrabismo em pessoas adultas, também pode ser recomendado o uso de óculos apresentem erro refrativo. Exercícios de ortótica também podem ser uma boa opção. pois são bastante úteis na manutenção do alinhamento dos olhos.

Porém, os óculos não dispensam a intervenção cirúrgica para alinhar os olhos.

Ressalto que, caso o estrabismo tenha ocorrido devido à perda da visão, esta terá de ser, primeiramente, corrigida. Só após a recuperar a visão, o paciente poderá realizar a intervenção cirúrgica para o tratamento do estrabismo.

Uma das dúvidas que mais assombram as pessoas com estrabismo é se a cirurgia para estrabismo é feita com anestesia e a resposta é sim. Não há motivos para se preocupar com relação a isto.

Cuidados com estrabismo pós cirurgia

Assim como em qualquer cirurgia, a cirurgia para tratamento de estrabismo possui alguns riscos e necessita de cuidados específicos.

O risco mais comum na cirurgia do estrabismo é o insucesso do ponto de vista de cura do estrabismo, ou seja, o paciente pode continuar com o desvio nos olhos.

Olhos vermelhos, ardência ou pequenas infecções são riscos de pouca importância e contam com fácil resolução.

Tratamento para estrabismo com toxina botulínica

Há também a chance de se tratar o estrabismo com a toxina botulínica, conhecida popularmente como botox.

Caso esta seja a opção escolhida para o tratamento, a toxina botulínica será aplicada direto no músculo ocular externo. Isto proporcionará um relaxamento e o alinhamento dos olhos, sem necessitar de intervenção cirúrgica.

Além de evitar a cirurgia, o procedimento é considerado seguro. O procedimento dura cerca de um minuto e é feito com anestesia local. O tempo de recuperação é curto.

Tratamento caseiro para estrabismo

Muitas pessoas procuram na internet um tratamento alternativo para estrabismo, mas ressalto aqui que isto não deve ser feito de forma alguma. Pode acarretar grandes problemas aos seus olhos e até piorar a situação do estrabismo.

O estrabismo é uma condição que precisa ser acompanhado por um médico oftalmologista para que o tratamento seja feito da forma correta.

Exercícios para o estrabismo

Por fim, pode ser recomendado a realização de alguns exercícios para pessoas com estrabismo de forma latente. São chamados de exercícios de ortótica e podem ser úteis na manutenção do alinhamento dos olhos assim como no alívio de alguma sintoma.

Converse com o seu oftalmologista para que ele diga se os exercícios são ou não recomendados para você.

Para saber mais confira este artigo falando sobre o estrabismo em adultos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir conversa
Posso Ajudar?